O Conselho Internacional de Arquivos (CIA) realiza este ano a sua 9ª conferência em Roma, entre 19 e 23 de setembro, subordinada ao tema Archives: Bridging the Gap. Uma organização do CIA em parceria com a SOS Archivi, entre outras entidades.

A edição deste ano olha para os arquivos como um meio de ultrapassar necessidades que se revelam transversais e a diversos níveis de intervenção. As sociedades contemporâneas caracterizam-se pela diversidade, por diferentes comunidades, culturas, linguagens, instituições e tecnologias que interagem num espaço comum e fazem as sociedades muito complexas. Fazer “a ponte” entre global e local, público e privado, centro e periferia, maioria e minoria, deveres e direitos, mais ou menos tecnologia, poderá ser a chave para o desenvolvimento de uma sociedade onde diferentes elementos coexistem e prosperam.

Os arquivos desempenham um importante papel neste cenário, pois incorporam e representam os valores de uma sociedade, a sua identidade, de uma forma dinâmica. Não falamos de depósitos de memória, mas antes de agentes proativos que definem e caracterizam a nossa memória, por isso, constituem fatores estratégicos para bridging the gaps, ou seja, para ultrapassar certas dificuldades. Por outro lado, os arquivos têm de enfrentar as dificuldades internas que prejudicam a sua missão e dificultam o seu acesso. Um constante esforço de atualização em termos de objetos, formatos e técnicas a correr atrás da constante mudança tecnológica.

Os arquivos podem e devem construir e promover pontes de diálogo, cooperação, comunicação e fortalecimento pela partilha de conhecimento.

A proposta para esta conferência é que se debatam temas que relacionem os arquivos com a democracia e o acesso à informação por todos os cidadãos, com as diferenças culturais, com o distanciamento provocado pelo digital e na introdução e acompanhamento das novas tecnologias.

As propostas de submissão são aceites até 21 de março. Toda a informação poderá ser consultada na página da conferência, aqui.

Similar Posts