Assumir o potencial de pioneirismo tecnológico

As Recomendações para as Bibliotecas de Ensino Superior de Portugal 2020-2022 têm, entre outros, o objetivo de enquadrar a atividade dos profissionais de informação no triénio 2020-2022, sendo desenvolvidas a partir de quatro eixos: i) Apoio ao ensino e aprendizagem, ii) Apoio à investigação, iii) Desenvolvimento profissional e organizacional, iv) Redes, cultura e património. De maneira a contribuir para uma mais efetiva aplicação na prática, apresentamos de uma forma mais detalhada a recomendação Fomentar o potencial inovador e o valor das Bibliotecas do Ensino Superior, que se inclui no eixo três Desenvolvimento profissional e organizacional.

Assumir o papel das Bibliotecas do Ensino Superior como agentes de mudança e de pioneirismo tecnológico, líderes, parceiros e implementadores das tendências emergentes no Ensino Superior no âmbito da gestão da informação e do ensino-aprendizagem, reforçando a posição influente das Bibliotecas e dos seus profissionais no quadro institucional.

O ano de 2020 e o impacto das restrições causadas pela pandemia de covid-19 trouxe ao mundo novas urgências, exigindo uma adaptação imediata a um novo cenário, imprevisível até então para maior parte das organizações.

Neste contexto, muitos setores profissionais viram-se obrigados a reinventar a sua forma de agir, encontrando novos fluxos e modelos, que de certa forma permitissem melhor se adaptarem ao ambiente remoto que assim se impôs.

Interessante verificar a forma como as bibliotecas universitárias reagiram nesta conjuntura, adaptando-se a um “território” que já lhes era extremamente familiar, e assumindo desde cedo uma presença firme na esfera digital, num momento fundamental para a vida das nossas instituições.

Esta adaptação, num contexto de mudança e de reforço do ambiente digital, é o resultado de uma maturidade atingida pelas BES nos últimos anos, através de uma aposta muito grande dos seus profissionais no desenvolvimento de competências para lidar com os crescentes desafios impostos na gestão da informação e nos seus serviços prestados, uma constante muito marcada pela tão ambicionada transição digital.

Neste sentido, e num cenário de profunda mudança, esta recomendação pretende promover o reconhecimento do valor das BES, da sua importância estratégica no ensino superior, para que assumam o seu devido papel no pioneirismo tecnológico das universidades portuguesas.

Alguns eixos de intervenção onde as BES têm assumido este protagonismo, que interessa reforçar e promover:

  • A criação de espaços de experimentação de tecnologias emergentes nas BES, como a criação de makerspaces, que permitam aos utilizadores um maior contacto com tecnologia de ponta, potenciando as aprendizagens experienciais;
  • O crescimento da aposta em sistemas open source, uma tendência tecnológica em sintonia com as principais políticas europeias para transição digital, garantindo a interoperabilidade de infraestruturas e serviços;
  • A promoção de atividades em ambiente remoto, que no período pandémico foi a principal forma das bibliotecas abrirem as suas portas aos utilizadores, através de formações, encontros, webinares e outras iniciativas, inovando nas formas de comunicação e no desenvolvimento e promoção de competências;
  • O desenvolvimento e manutenção de projetos integradores, que construam soluções nacionais de valor acrescentado para as BES em Portugal, das quais projetos como o RCAAP e o Biblioteca Comum são bons exemplos, reforçando a implementação das tendências cooperativas com a geração de sinergias institucionais.

Pedro Príncipe
Thiago Cunha

Similar Posts