Ana Paula Gordo

Ser associado é também beneficiar dos serviços mas, sobretudo, levar a cabo um compromisso político, social  e profissional de entreajuda mediante a partilha.

Ana Paula gordo

Há quanto tempo é associada da BAD?
Há 36 anos, desde 14.01.1986 precisamente no dia em que completei 32 anos de vida.


Em três adjetivos como tem sido esta “relação”?
Motivadora, afetuosa, enriquecedora


Numa frase, como convenceria alguém a associar-se à BAD?
Se pretendes desafiar-te como profissional, aprender sempre mais e conhecer o mundo profissional, criar laços que permitam fomentar redes, associa-te à BAD, única a permitir consistentemente alcançar esses objectivos.

 
Como associada, o que a BAD ainda não tem para lhe oferecer?
Um documento que espelhe os quase 50 anos de vida desta instituição a quem os profissionais da área da informação tanto devem, mesmo que não o saibam. Em suma, uma história da BAD que permita demonstrar a validade do associativismo.


Que mensagem gostaria de deixar aos novos profissionais relativamente ao associativismo?
Ser membro de uma Associação desta natureza não é, seguramente, só beneficiar dos serviços que ela presta. Isso é a aquisição de serviços que pode ser feita a outro tipo de instituição. Ser associado é também beneficiar dos serviços mas, sobretudo, levar a cabo um compromisso político, social  e profissional de entreajuda mediante a partilha, com o grupo, de ideias e soluções que permitam solucionar o que ainda há por fazer. Numa altura em que até as distâncias estão mitigadas pelo uso das tecnologias, não se entende a falta de empenho e participação, para bem do próprio, da Associação e da comunidade.

Nota Biográfica

Ana Paula Gordo, Nasceu em Lisboa, em 1954.
Na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa licenciou-se em História e fez o Curso de Especialização em Ciências Documentais, ramo Biblioteca.
De 1976 a 1981 foi docente da disciplina de História.
De 1981 a 1987 responsável pelo Centro de Documentação e Informação do Laboratório Nacional de Investigação Veterinária.
De 1987 a 1994 integrou a equipa que desenvolveu, no Instituto Português do Livro e da Leitura a criação da Rede de Bibliotecas Públicas tendo sido responsável pela Divisão do Desenvolvimento da Rede e pela Divisão responsável pela coordenação do Inventário do Património Móvel .
De 1994 a 2017 integrou a Direção da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian,  como Directora Adjunta e como Diretora.
Docente nos cursos de preparação de Técnicos Adjuntos de Biblioteca e Documentação promovidos pela BAD, responsável técnica no desenvolvimento curricular e professora do curso de Técnico de Biblioteca e Documentação do INETE, professora em várias cadeiras do Curso de Especialização em Ciências Documentais da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Universidade dos Açores.
Exerceu, em vários mandatos, cargos nos Corpos Sociais da BAD.
Aposentada desde 2017.

Similar Posts